CondiÇÕes da Última Semana
CONDIÇÕES DE NEUTRALIDADE NO PACÍFICO EQUATORIAL

O fenômeno El Niño-Oscilação Sul (ENOS) é caracterizado por anomalias, positivas (El Niño) ou negativas (La Niña), de temperatura da superfície do mar (TSM) no Pacífico equatorial, e sua caracterização é feita através de índices, como o Índice de Oscilação Sul (IOS – calculado através da diferença de pressão entre duas regiões distintas: Taiti e Darwin) e os índices nomeados Niño [(Niño 1+2, Niño 3, Niño 3.4 e Niño 4), que nada mais são do que as anomalias de TSM médias em diferentes regiões do Pacífico equatorial]. 
A análise do padrão atual da anomalia de TSM mostra um padrão persistente no Pacífico Tropical, anomalias negativas de TSM no Pacifico Equatorial Central e Leste, circundadas por anomalias positivas no Pacífico Tropical Norte e Sul, além do Pacífico Equatorial Oeste. Porém esse padrão começou a enfraquecer em novembro de 2016. Os índices Niño3 e Niño 4 indicam valores entre 0,5oC e -0,5oC (limiares para definição de episódios ENOS), enquanto o índice Niño 3.4 teve valor inferior à -0,5oC pelo quarto trimestre consecutivo. Porém, os ventos alísios (ventos sobre a região equatorial, com sentido leste-oeste) não estão fortalecidos (outra condição para definição de La Niña). Sendo assim, considera-se que o Pacífico está passando por uma fase neutra do fenômeno ENOS. 
Os padrões de temperatura da superfície do mar dos modelos numéricos de previsão climática analisados durante à reunião climática do GT de previsão climática sazonal indicam anomalias próximas de zero sobre o Pacífico Equatorial o que indica uma fase neutra do fenômeno ENOS, ou seja, sem a ocorrência de um El Niño ou uma La Niña, durante o próximo trimestre (fevereiro-março-abril). A análise probabilística de ocorrência de episódios ENOS realizada pelo IRI também indica que no próximo trimestre a maior probabilidade é de haja uma fase neutra desse fenômeno. 

Texto atualizado em 31/01/17
  • Temperatura
  • Temperatura
  • Temperatura
El NiÑo
El Niño é um fenômeno atmosférico-oceânico caracterizado por um aquecimento anormal das águas superficiais no oceano Pacífico Tropical, e que pode afetar o clima regional e global, mudando os padrões de vento a nível mundial, e afetando assim, os regimes de chuva em regiões tropicais e de latitudes médias. +
Últimas Ocorrências
Efeitos Globais
  • Dezembro Janeiro Fevereiro
  • Junho Julho Agosto
Impactos no Brasil e na América do Sul
La NiÑa
La Niña representa um fenômeno oceânico-atmosférico com características opostas ao EL Niño, e que caracteriza-se por um esfriamento anormal nas águas superficiais do Oceano Pacífico Tropical. Alguns dos impactos de La Niña tendem a ser opostos aos de El Niño, mas nem sempre uma região afetada pelo El Niño apresenta impactos significativos no tempo e clima devido à La Niña. +
Últimas Ocorrências
Efeitos Globais
  • Dezembro Janeiro Fevereiro

  • Junho Julho Agosto

Impactos no Brasil
INPE - Instituto Nacional de Pesquisas Espaciais
CPTEC - Centro de Previsão de Tempo e Estudos Climáticos
© Copyright 2016 CPTEC/INPE
Comentários e/ou sugestões: Fale Conosco