CONDIÇÕES ATUAIS DO ENOS: ENFRAQUECIMENTO DO EL-NIÑO

O El Niño e a La Niña são partes de um mesmo fenômeno acoplado (atmosférico-oceânico) que ocorre no oceano Pacífico Equatorial (e na atmosfera adjacente), denominado de El Niño Oscilação Sul (ENOS). A fase El Niño do fenômeno acoplado ENOS refere-se às situações nas quais o oceano Pacífico Equatorial está mais quente do que a condição média histórica (climatológica), e a fase La Niña refere-se a situação oposta, ou seja, quando o oceano Pacífico Equatorial está mais frio do que a condição média histórica. A mudança na temperatura do oceano Pacífico Equatorial acarreta efeitos globais nos padrões de circulação atmosférica, transporte de umidade, temperatura e precipitação.

A caracterização do ENOS é analisada por meio do cálculo de alguns índices, como o Índice Oceânico Niño (Oceanic Niño Index – ONI) definido pela média móvel trimestral da anomalia de temperatura da superfície do mar para a região do Niño 3.4 (localizada na porção central do Pacífico Equatorial), por no mínimo, cinco períodos de três meses consecutivos com valores de anomalias superiores a 0,5°C para eventos de El Niño, e inferiores a -0,5°C para eventos de La Niña. Temos também o Índice de Oscilação Sul (Southern Oscillation Index – SOI) que representa a diferença na pressão média do ar ao nível do mar, medida no Taiti (na região da Polinésia Francesa, no Pacífico central) e Darwin (no norte da Austrália), que pode indicar a condição do acoplamento entre o Oceano Pacífico e a Atmosfera. Em condições de El Niño (La Niña) a pressão é mais baixa (alta) do que o normal em Taiti (Darwin) e mais alta (baixa) do que o normal em Darwin (Taiti), resultando em um valor negativo (positivo) do Índice de Oscilação Sul.

"O monitoramento das condições atuais de temperatura da superfície do mar do oceano Pacífico equatorial ainda mostra valores acima da média principalmente no Pacífico Central, porém se nota um enfraquecimento em relação as condições observadas nos meses anteriores, indicando o decaimento do atual fenômeno El Niño. As previsões analisadas de anomalias de temperatura da superfície do mar na região do oceano Pacífico equatorial para maio-junho-julho de 2024 (MJJ/2024) dos modelos numéricos de previsão climática indicam a descaracterização desse padrão de aquecimento, com valores de temperatura da superfície do mar próximos da média climatológica, ou seja, condições neutras. A previsão da ocorrência de ENOS realizada pelo IRI/CPC em meados abril é de 83% de probabilidade de ocorrência de condições neutras no trimestre MJJ."

Texto atualizado em 29/04/2024.

  • Temperatura
  • Temperatura
  • Temperatura
El NiÑo
O El Niño e a La Niña são partes de um mesmo fenômeno atmosférico-oceânico que ocorre no oceano Pacífico Equatorial (e na atmosfera adjacente), denominado de El Niño Oscilação Sul (ENOS). O ENOS refere-se às situações nas quais o oceano Pacífico Equatorial está mais quente (El Niño) ou mais frio (La Niña) do que a média normal histórica. A mudança na temperatura do oceano Pacífico Equatorial acarreta efeitos globais na temperatura e precipitação.

+
Últimas Ocorrências
Efeitos Globais
  • Dezembro Janeiro Fevereiro
  • Julho Agosto Setembro
Impactos no Brasil e na América do Sul
La NiÑa
La Niña representa um fenômeno oceânico-atmosférico com características opostas ao EL Niño, e que caracteriza-se por um esfriamento anormal nas águas superficiais do Oceano Pacífico Tropical. Alguns dos impactos de La Niña tendem a ser opostos aos de El Niño, mas nem sempre uma região afetada pelo El Niño apresenta impactos significativos no tempo e clima devido à La Niña. +
Últimas Ocorrências
Efeitos Globais
  • Dezembro Janeiro Fevereiro

  • Julho Agosto Setembro

Impactos no Brasil
INPE - Instituto Nacional de Pesquisas Espaciais
CPTEC - Centro de Previsão de Tempo e Estudos Climáticos
© Copyright 2016 CPTEC/INPE
Comentários e/ou sugestões: Fale Conosco